despedida

Carregando o escudo verde e branco no peito por dois anos, o UNINASSAU/América foi campeão pernambucano Adulto e Sub-19, além de conquistar medalhas de prata e bronze da Liga de Basquete Feminino (LBF).

A partir desta quinta-feira (22) a equipe comandada pelo técnico Roberto Dornelas começa a escrever uma nova história, agora como Uninassau Basquete. O que fica são as lembranças e os agradecimentos de todos que fizeram parte do UNINASSAU/América aos que torceram, acreditaram e ajudaram a equipe a alcançar voos muito altos no cenário nacional!

Obrigada, América!

image

Evento do Cestinhas do Futuro reúne alunos das turmas de Carlos, Gattei e Adrianinha (Foto: Robson Neves)

Na manhã deste sábado (27), a partir das 9h30, as crianças integrantes do Projeto Cestinhas do Futuro irão participar de um evento na quadra do Centro de Treinamento do UNINASSAU/América, localizado no Colégio Salesiano. Alunos dos professores Carlos Pacheco, Vanessa Gattei e Adrianinha, irão participar de atividades durante toda a manhã.

Professoras orientam seus alunos na hora do coletivo (Foto: Robson Neves)

Professoras orientam seus alunos na hora do coletivo (Foto: Robson Neves)

A ação tem como intuito ver a evolução dos pequenos jogadores após meses de treinamento e proporcionar a todos eles uma boa manhã de lazer.

Érika do Brasil disputa partida contra a Austrália durante as competições de Basquete na Arena Basketeball nos Jogos Olímpicos de Londres em 01 de Agosto de 2012 em Londres, Inglaterra. Foto: Alaor Filho/AGIF/COB

Érika foi convocada para mais uma Olimpíada, assim como Kelly, Adrianinha e Tati Pacheco. Foto: Alaor Filho/AGIF/COB

Agora é oficial. Antônio Carlos Barbosa escolheu as 12 jogadoras que vão representar o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Entre elas, estão quatro atletas do UNINASSAU/América: a armadora Adrianinha, a ala Tatiane Pacheco e as pivôs Kelly Santos e Erika de Souza.

Adrianinha e Kelly fazem parte do grupo “experiente” de Barbosa. A armadora vai para a sua 5ª Olimpíada, enquanto a pivô vai para a quarta. “Fiquei muito feliz. É o sonho de qualquer atleta representar o seu país, principalmente em uma Olimpíada realizada aqui no Brasil. A expectativa é a melhor possível para a conquista de uma medalha”, disse Adrianinha.

Já Erika, última a se juntar ao grupo pois cumpria calendário da WNBA, vai para a sua terceira Olimpíada. Para a pivô, a camisa verde e amarela tem um peso diferente. “Defender o Brasil é o que mais me dá orgulho. Já joguei em diversos times ao redor do mundo, com grandes estrelas do basquete mundial, mas quando eu estou com o nosso uniforme a história é bem diferente. Coloco todo o meu coração em quadra”, disse a atleta.

Para Tati Pacheco, uma das atletas remanescentes da renovação tentada por Luis Augusto Zanon, antigo técnico da seleção, as jogadoras mais novas prometem dar um ritmo diferente à partida. “Temos no grupo a Adrianinha, a Iziane, que são atletas muito experientes, mas sabemos que o Barbosa espera bastante da gente. Nós entramos para dar outra intensidade no jogo. Não vamos decepcionar”, declarou.

A Seleção Brasileira de basquete feminino estreia na competição no dia 6, contra a Austrália.

A equipe da UNINASSAU/América vai dar a sua parcela de contribuição para que o Projeto Aurora possa continuar atendendo dezenas de meninas e meninos carentes do bairro de Santo Amaro, no centro do Recife. Seguindo uma determinação legal, o Conselho Regional de Educação Física (CREF-PE) exigiu que um profissional da área devidamente registrado no órgão assuma as atividades físicas desenvolvidas pelo PA.

Para que o projeto possa funcionar normalmente, a UNINASSAU/América vai disponibilizar um profissional da sua equipe a fim de monitorar o trabalho. A ideia é criar uma rede de professores de Educação Física voluntários com o objetivo de se estabelecer um rodízio e cada um possa dar a sua contribuição uma vez ao mês.

Nesta terça-feira, o técnico Roberto Dornelas e a sua assistente técnica Vanessa Gattei estiveram presentes ao treino do Projeto Aurora com esse intuito. Gattei, inclusive, levou a sua turma de meninas do Cestinhas do Futuro para bater uma bola com o pessoal do PA.

Meninada do Cestinha do Futuro bateram uma bola com o pessoal do PA (Foto: Robson Neves)

Meninada do Cestinha do Futuro bateu uma bola com o pessoal do PA (Foto: Robson Neves)

Outros profissionais ligados ao basquete pernambucano também estiveram presentes na quadra da rua da Aurora a fim de apoiar a proposta de incentivar o trabalho voluntários de profissionais de Educação Física para que o Projeto Aurora possa continuar funcionando conforme a lei.

PA1907 1

Roberto Dornelas e Vanessa Gattei integram o time que ajudará o Projeto Aurora (Foto: Robson Neves)

SAIBA MAIS

Projeto Aurora retribui visita e conhece o CT da UNINASSAU/América

Globo Esporte mostra como foi a visita da UNINASSAU/América ao Projeto Aurora

 

Equipe venceu a Universo e se sagrou campeã da LDU (Foto: PhotoJump)

Ariadna, capitã do time, recebe o troféu da LDU 2016 (Foto: PhotoJump)

Com uma campanha de 4 jogos e 4 vitórias, a UNINASSAU se sagrou bicampeã da Liga de Desporto Universitário (LDU) – Fase Nacional.  Após vencer a CEUB (DF), a UNOCHAPECÓ (SC), a UniSantanna (SP) e, na manhã deste sábado (25), a Universo (GO), pelo placar de 82 a 53, a equipe pernambucana leva para Recife seu segundo troféu do torneio.

O próximo compromisso da UNINASSAU agora é a disputa dos Jogos Universitários Brasileiros (JUB’s), que acontecerá em novembro, em Cuiabá. A equipe é a atual campeã e vai em busca do tetracampeonato.